[Treino] Lucibel

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Mensagem por Lucibel em Ter Maio 05, 2015 11:08 pm



Máscaras
-------------- Houve então uma guerra nos céus.---------------------------------------------------------------------------------------



Não te prostrarás diante deles nem lhes prestarás culto, porque eu, o Senhor, o teu Deus, sou Deus zeloso, que castigo os filhos pelo pecado de seus pais até a terceira e quarta geração daqueles que me desprezam,
Deuteronômio 5:9




Quando chegou até a arena o sol já estava quase se pondo no horizonte, sentia a brisa quente chocar-se contra seu corpo como se fosse as portas do próprio inferno se abrindo diante de si. Estava no alto e de lá podia ver os demais aspirantes dando seu suor e sangue em seus treinamentos, um sorriso cínico desenhou-se em seus lábios a medida que as longas madeixas negras com o âmbar caíram sobre seu rosto ocultando a face de traços angelicais. Seus olhos estavam eram tão negros quanto a noite que logo cairia sobre o santuário, seu olhar era perturbador, muitos poderiam facilmente render-se aos seus encantos enquanto outros tremeriam em pavor. Um anjo ou demônio? Nem mesmo ela saberia dizer o que ela realmente era, ainda trilhava um caminho a procura de tais respostas e não temia qual destino teria que encarar.

Com passos lentos e firmes a jovem morena descia as arquibancadas do coliseu, os sons de socos e chutes se misturavam aos gemidos e gritos de dor, a cada passo dado a jovem podia notar que mais e mais olhares eram voltados para si. A aspirante continuava caminhando tranquilamente, ela sabia que o que chamava  a atenção era o fato de como sempre ela não estar usando uma máscara de amazona. Lucibel pouco se importava com essa regra, na verdade com a maioria delas, seu foco era unicamente se tornar forte o suficiente para suceder o cavaleiro que havia salvado sua vida anos atrás em Roma. Porém ela não se importava com tal detalhe. usar uma máscara não a tornava mais fraca e menos digna de trajar uma veste de ouro e assim com passos lentos ela continuou caminhando até seu destino.

Quando chegou a última arena do coliseu a mesma estava vazia como ela apreciava, não era  segredo para ninguém que a aspirante desdenhava dos demais e igualmente de toda a humanidade. Apoiou-se no parapeito da arena e impulsionou seu corpo para dentro da mesma e voltou a caminhar até uma enorme pedra que estava no fundo da mesma. Era uma gigantesca pedra que estava ali fazia muito tempo, era possível as rachaduras e buracos deixados por vários aspirantes que muitas vezes treinaram ali, porém jamais a enorme rocha havia se partido de fato. Por alguns instantes ela fintou a pedra e seus dedos percorreram lentamente as fissuras, sabia que um dia seria ela que colocaria a imponente pedra no chão reduzida a meros pedaços.  

Concentrada a garota começou a socar a pedra, aos poucos dando socos cada vez mais fortes e cada vez mais localizados, procurando uma perfeição em seus golpes que ela mesma sabia que ainda não tinha. ‘ ─ Eles podem rasgar os céus com seus punhos e são tão rápidos quanto a luz… Eu também serei. Eu vou ser a mais forte dentre os cavaleiros de Atena! ─’’ Ela repetia para sim mesma enquanto desferia golpes e mais golpes rapidamente contra a rocha. O céu já estava totalmente tomado pelo rubro e o sol aos poucos se escondia no horizonte, as gotas de suor nasciam em sua testa e deslizavam por todo seu rosto, morrendo em seu pescoço. Lucibel podia ter muitos problemas, mas era inegável sua devoção por Atena e quão dedicada era em seus treinos, tudo com o objetivo de conquistar sua veste.

Teria continuado por horas, mas passos ecoaram pelo lugar, fazendo a garota parar,estava ofegante, mas não precisou se virar para saber que era um pequeno grupo de três garotos, sabia que eram meninos por que os passos era mais pesados. A morena nem se indignou a a virar, continuou a arrumar as faixas em sua mão como se os garotos não estivessem ali e talvez estar ali era o maior erro que eles poderiam ter cometido. Ela ouviu perfeitamente quanto por quatro vezes eles a chamaram, porém um dos garotos de forma impensada cometeu um grande erro.

─ Ei sua vagabunda, está com medo de mostrar seu rosto para nós? ─ Disse de forma debochada. ─ Nós queremos só nos divertir com você.

Ela então se virou para os garotos, calmamente, em seus lábios havia um sorriso angelical e ao mesmo tempo  diabólico, ela levou a mão direita a franja a tirando do rosto, por alguns segundos o silêncio reinou pelo local. Seus olhos negros de tempestade encaram os garotos e logo ela deu alguns passos se aproximando deles:

─ Se divertir? Comigo? ─ Ela riu com escárnio. ─ E que tipo de diversão eu vou ter com vocês?

─ Uma vadia como você deveria saber. Nós queremos trepar com você. ─ Disse um deles olhando a  morena com olhos cheio de malícia.

─ Sério? ─ Diz ela rindo com as palavras deles. ─ Vocês três acham quem dão conta de mim? Isso é uma piada? ─ Ela continuou rindo. ─ Isso ai que vocês tem entre as pernas não da nem para o começo.

─ Cala boca! Uma vadia como você que não usa a máscara não merece nada mais do que ser tratada como uma vagabunda.

─ Hun.. Interessante… Então… Por que vocês não vem pegar a vagabunda aqui.─ Disse ela de forma desafiadora.

Um dos garotos, o mais velho e o mais forte dele puxou a aspirante pelo braço que se deixou levar, seu corpo de curvas perfeitas e músculos torneados colou-se ao dele e seus lábios roçaram-se aos dele, suas unhas arranharam o peito dele descendo lentamente pela barriga e abdomen do garoto, logo já estava sobre as calças dele acariciando a sensível região masculina enquanto seus lábios tomavam os do garoto em um beijo. Lentamente a mão dela estimulou o garoto porém quando o mesmo já estava entregue ao ato a morena começou a apertar com força os testículos do garoto o fazendo o gritar.

─ Se eu quisesse trepar com vocês eu já teria procurado. Garotinhos como vocês não estão preparados para mulheres como eu… Entenderam? ─ Ela olha no fundo dos olhos do garoto que gritava de dor. ─ Vou te ensinar uma lição que você jamais vai esquecer.

Olhando nos olhos dele Lucibel começou a apertar cada vez mais forte arrancando gritos ainda mais altos do garoto, usava toda a sua força que adquiriu em seu treinamento. Seus olhos contemplavam o semblante de aguda dor do garoto com um sorriso nos lábios, somente quando sentiu que havia esmagado os testículos dele o soltou no chão. O garoto estava quase apagado de tanta dor, Lucibel colocou seu pé sobre o peito do garoto que rolava no chão de dor, olhou para os dois a sua frente de forma desafiadora, como se perguntasse quem seria o próximo.

Com ódio no olhar os dois partiram em direção a garota, ela porém  em um movimento rápido abaixou-se e quando subiu acertou o queixo de um deles o jogando para trás, o segundo porém consegui acertar um soco em sua boca, que fez a jovem sentir o gosto ferroso do sangue em sua boca. Como aquele insolente e imbecil ousava machuca-la, a aspirante abaixou a cabeça e em sua mente uma voz começou a ecoar ‘‘ ─ Mate-os Luci… Mate-os! Manche o chão com o sangue deles ─’’  Uma raiva gigantesca surgiu no interior da menina, seus punhos se fecharam com força, bem como seus olhos e quando os mesmos abriram-se novamente eram pratas, com um brilho intenso, seu semblante era demoníaco, com certeza aquelas garotos conheceriam o inferno.

O garoto que já havia sido atingindo novamente investiu contra a aspirante, Luci com um movimento perfeito jogou seu corpo para trás, esquivando perfeitamente e quando ela voltou sua mão já foi de encontro a costela dela, socando o local com toda a força. Assim que o menino sentiu a pancada, suas mãos o agarraram pela blusa e ela trouxe o abdomên dele de encontro com o seu joelho acertando o local com força. Seus sentidos logo perceberam o outro atacante e ela jogou o corpo do garoto contra o do amigo derrubando assim os dois a uns dois metros dela. A adrenalina do combate corria por suas veias e fazia ela desejar cada vez mais e mais daquilo, suas veias saltavam em seus punhos e pescoço, o ódio transparecia em sua face e foi só então que os garotos se deram conta de quão estúpida havia sido sua decisão.

Mas agora não havia mais tempo para fugir ou para pedir clemência, Lucibel já estava novamente sobre eles e acertou um chute forte e certeiro no rosto do garoto que já estava mais machucado o fazendo cair desacordado metros para trás. O terceiro e último seria aquela que conheceria a verdadeira ira da jovem. Luci o agarrou pelo roupa o levantando e olhando em seus olhos:

─ Você conhece a dor? Se não eu vou te mostrar. ─ Ela olha para ele com um sorriso nos lábios. ─ Então a máscara é importante para vocês?

Lucibel soltou o garoto que estava um pouco em choque, o suficiente para não ver o soco certeiro que atingiu em seu rosto, depois o gancho que atingiu seu queixo e o deixou tonto o derrubando. Rapidamente ela segurou a cabeça do menino e começou a esfolar o rosto dele no chão enquanto ele gritava e por mais que tentasse se soltar, ela já havia o dominado. Seus olhos estavam vidrados no vermelho sangue que pintava o chão da arena e o gritos eram como músicas para seu ouvido, lentamente ela esfolava o rosto do garoto cada vez mais, fazendo o chão ficar cada vez mais vermelho, podia ver a pele se soltar do rosto dele e sentia uma enorme necessidade de fazer aquilo.

Foi quando algo dentro de si a fez parar, uma voz que ecoou em sua mente de forma estridente e ela soltou a cabeça do garoto, um pouco tremula levantou-se e viu os três garotos no chão. Milhares de vozes ecoavam em sua cabeça e ela a balançou fortemente, estava ofegante, mas era como se não conseguisse respirar, um pouco tonta ela olhou acima da arquibancada e  viu algo que a fez estremecer, aquele mesmo homem que aparecia em ses sonhos bem ali. Ela novamente olhou os garotos na arena e lembrou-se de cada palavra e naquele instante ela lembrou-se de tudo que havia ocorrido em Roma e naquele instante ela soube que estava certa. Olhou os garotos com desprezo em seus olhos que agora já estavam negros e os deixou ali, a sua própria sorte, enquanto ela retornava ao seu alojamento para limpar o sangue que agora estava em suas mãos.


 

NOTAS: Aqui ONDE: Aqui OUVINDO: Aqui COM: Aqui  

Coded By @Lilah!
Mensagens : 2

Ficha
VIDA:
100/100  (100/100)
COSMO:
100/100  (100/100)
Nível: 6

Pontos : 6

Ficha
VIDA:
100/100  (100/100)
COSMO:
100/100  (100/100)
Nível: 6

Data de inscrição : 24/04/2015

Ficha
VIDA:
100/100  (100/100)
COSMO:
100/100  (100/100)
Nível: 6

Ver perfil do usuário
avatar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Aquário em Seg Maio 18, 2015 5:30 pm
O que posso dizer...?
Boa narrativa, condução e enredo. Sabes denotar com precisão todos os sentimentos e sensações dos personagens. Além de ter uma longa narração
+ 5 níveis para você, guerreira de Atena.
Mensagens : 42

Ficha
VIDA:
2000/2000  (2000/2000)
COSMO:
2000/2000  (2000/2000)
Nível: 5

Pontos : 58

Ficha
VIDA:
2000/2000  (2000/2000)
COSMO:
2000/2000  (2000/2000)
Nível: 5

Data de inscrição : 28/12/2014

Ficha
VIDA:
2000/2000  (2000/2000)
COSMO:
2000/2000  (2000/2000)
Nível: 5

Ver perfil do usuário
avatar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum