Trama principal: O traidor -Ato 1/Parte 2 - Conhecendo o Terreno

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Mensagem por Led de Coma Berenices em Seg Set 25, 2017 5:43 pm
1990 - Oslo, Noruega.

- O total é 65 kroner, senhor – A atendente esticou a mão com a palma para cima, esperando um dinheiro que repousou com uma leveza atípica. Ela olhou para cima e viu um homem bem vestido, com a pele clara e cabelos castanhos bem penteados. Estava com uma barba semicerrada e tinha um sorriso no rosto, aliado a um olhar perdido, mas puro.

Led agradeceu e recolheu suas compras. Havia se passado uma semana desde que acordara naquela gruta. Descobriu da pior maneira que sair andando pelado pela praia não era muito educado ali, mas já era o esperado. Em meio a olhares curiosos e assustados e gritos de “louco”, ele vagou pela areia até encontrar uma escada que dava para um calçadão. Tudo ali parecia novo e aterrorizante para ele.

Coisas normais para os habitantes daquela cidade não eram para ele. Claro, ele havia se esquecido, com exceção de alguns flashes, de tudo que lhe ocorrera antes de acordar naquela espécie de laboratório, mas algumas coisas ainda lhe eram familiares. Os conceitos lhe eram familiares. Ele reconhecia construções habitacionais gigantes como prédios, ainda que todos os prédios que viu fossem diferentes dos que ele tinha no subconsciente. Mas algo realmente lhe chamou atenção, e aparentemente os habitantes chamavam de “carro”.

Ele não conhecia o conceito de carros, nada em sua mente lembrava, nem vagamente, aquilo. Sua primeira experiência foi assustadora porque achou que alguma máquina hostil estivesse lhe atacando no momento em que viu um carro cruzando a esquina. Não pensou duas vezes antes de socar o carro com todas as suas forças, partindo-o transversalmente e quase matando seu motorista, que saiu de seu carro furioso e assustado, querendo um acerto de contas. E como todo desconhecido que chega a uma nova cidade, Led correu.

Passou um dia inteiro se escondendo e procurando objetos familiares com os quais pudesse recuperar partes de sua memória, mas tudo lhe parecia embaçado, sua mente ainda não parecia funcionar muito bem. E ele demorou até pegar o jeito daquela nova cidade.

- Seu troco, senhor! – A mulher por trás do balcão chamou enquanto Led saia da loja deliberadamente. – Você me pagou com 70 krones, o preço era 65, aqui estão os 5 de volta!

- Tem razão, ainda não me acostumei com esse sistema monetário, muito obrigado! – E sob o olhar confuso da mulher, Led saiu.

Dinheiro físico era algo que ele não tinha conhecimento. O conceito de trocar produtos por objetos feitos de derivados de papel ou de metal não lhe parecia certo, mas se era o costume daquela cidade, ele deveria seguir e não questionar muito. Não queria chamar atenção para o fato de não ser dali. Além disso, estava usando tudo o que encontrara naquela mochila, isso incluía algo que ele reconheceu como um mapa, dinheiro, identidade e chaves de um hotel que aparecia circulado no mapa. E era lá que ele deixava sua urna. Ele saberia se alguém chegasse perto dela.

Estava chegando a hora. Em menos de uma semana ele iria se apresentar ao Santuário, alguém deveria saber algo sobre ele, ou pelo menos ajudá-lo a descobrir algo sobre si mesmo. Não é?



1991 – Santuário, Grécia

A amazona de Libra lhe dera as notícias. Um traidor no Santuário. Alguém que conhecia o sistema de dentro. Era possível que Libra fosse a traidora? Justo Libra, a que mais deveria prezar pela justiça? Quem sabe. Led não deveria fazer suposições ainda, pelo menos não em voz alta.

O cavaleiro soube pela amazona que alguns cavaleiros de bronze chegaram antes dele e se dividiram em duplas, procurando pistas sobre a morte do Grande Mestre e o rapto de Atena. Há um ano, Led pouco se importaria com o Santuário, mas ele devia uma ao Grande Mestre. O mesmo já o havia ajudado. Quem quer que o tivesse matado, ele descobriria e acertaria as contas, mesmo que fosse um cavaleiro de ouro. Seria difícil, mas não impossível.

Um frio começou a atingir seu rosto e ele sabia que estava chegando à casa de Aquário, seu cavaleiro era conhecido por ser um cavaleiro que controla perfeitamente o elemento do gelo. Led já havia passado pela casa de Câncer e Libra, estava na hora de conhecer o cavaleiro que protegia a casa de Aquário. Além do mais, para uma pessoa envenenar o Grande Mestre, ela deveria ser muito fria ao fazer disso um espetáculo para todos verem, e pela frieza também era conhecido aquele cavaleiro.

Assim que atravessou as paredes da casa, sofreu um choque térmico, o que o deixou instantaneamente com frio. Apertou a alça da urna, que levava em seu ombro direito. Se preciso fosse, a usaria, mas não estava ali para hostilizar ninguém, apenas queria saber a versão do cavaleiro de ouro dos fatos. Se ele não fosse culpado, não haveria problema em falar com ele.

- Peço licença ao adentrar esta casa, cavaleiro – Led se ajoelhou, voltando seus olhos para o chão, mas todos os seus sentidos para o ambiente. Qualquer ataque de um cavaleiro de ouro a um cavaleiro de bronze sem armadura poderia ser fatal. – Sou Led, o cavaleiro de bronze de Coma Berenices. Estou aqui pois soube do ocorrido com o Grande Mestre e com a deusa Atena. Gostaria de trocar algumas palavras, de cavaleiro para cavaleiro.

Sua postura não era ofensiva, mas também não era defensiva. Led se matinha neutro, mas incisivo. Jamais afrontaria um cavaleiro de hierarquia superior sem motivos. Em sua mente, a probabilidade do traidor ser Aquário, supondo que fosse mesmo um dos dourados, era alta. Primeiro ele partiu do princípio de que nenhum dos cavaleiros atacaria o Grande Mestre de frente e muito menos utilizaria alguma de suas habilidades para isso. Isso excluía, temporariamente, o cavaleiro de Peixes. Led não acreditava que ele seria displicente o suficiente a ponto de envenenar o Grande Mestre, sabendo que todos lhe conheciam como o mestre dos aromas e venenos. Portanto era grande a chance de isso ser uma tentativa de incriminá-lo, mas por quê? Ele sentia cosmos vindo da casa de Peixes, naquele momento, mas Aquário vinha primeiro.

Seria triste se Aquário fosse mesmo o traidor, Led sempre teve respeito por ele. Gostava das habilidades gélidas e sentia-se atraído por elas, apesar de suas habilidades serem um tanto quanto diferentes. O título de cavaleiro de ouro era algo que ele almejava e Aquário era a segunda armadura pela qual ele gostaria de se candidatar.

“Led de Aquário”, ele pensou, sorrindo consigo mesmo enquanto esperava alguma presença do cavaleiro. “Acho que não combinaria”.

Mensagens : 25

Ficha
VIDA:
500/500  (500/500)
COSMO:
500/500  (500/500)
Nível: 3

Pontos : 35

Ficha
VIDA:
500/500  (500/500)
COSMO:
500/500  (500/500)
Nível: 3

Data de inscrição : 20/04/2015

Ficha
VIDA:
500/500  (500/500)
COSMO:
500/500  (500/500)
Nível: 3

Idade : 23

Ficha
VIDA:
500/500  (500/500)
COSMO:
500/500  (500/500)
Nível: 3

Ver perfil do usuário
avatar
Cavaleiro de Bronze

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por The Saint em Seg Set 25, 2017 9:31 pm









EXP

Atualização



Pelo fato de já ter ganhado 450 de EXP hoje, estou limitado a dar 50 apenas!
+50 de exp



Made by Lexiel@Sugar Avatar& Aglomerado


Última edição por The Saint em Qui Set 28, 2017 2:40 pm, editado 1 vez(es)
Mensagens : 106

Ficha
VIDA:
100/100  (100/100)
COSMO:
100/100  (100/100)
Nível: 1

Pontos : 328

Ficha
VIDA:
100/100  (100/100)
COSMO:
100/100  (100/100)
Nível: 1

Data de inscrição : 25/12/2014

Ficha
VIDA:
100/100  (100/100)
COSMO:
100/100  (100/100)
Nível: 1

Ver perfil do usuário http://nclrpg.forumeiros.com
avatar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Aquário em Qui Set 28, 2017 11:48 am

Aquário


Antes de levantar, antes de sequer abrir os olhos, Aquário dá sempre um grande suspiro. Seja pelo cansaço, pelo ócio, ou pela impaciência. Um cavaleiro conhecido por ser gélido e de poucas palavras, fala apenas o necessário, isso quando não está sem paciência para falar com outras pessoas.
- Ah... - Outro suspiro ao levantar, estava se preparando para os dias seguintes. Com o sumiço da pequena Deusa e, ainda, preocupações sobre uma possível nova guerra santa, Aquário se mostrava altamente preocupado. Em seu âmago, lamenta pela situação que o santuário está passando. E imagina o que ainda move os cavaleiros mais jovens, afinal, eles mal conheceram o dever ainda.
- Bem... Estamos perdidos...- Murmura em sua solidão.
No passar da manhã para a tarde, depois do almoço, Aquário parte para o salão de sua casa. A sua batente, sempre seguida e ininterrupta consome muita energia vital. Ficar todos os dias em guarda por dois séculos poderia enlouquecer a mente de qualquer um, mas não para aquela pessoa.
Ele já havia vivido muitas desgraças e mortes, não era essa rotina que o faria desanimar.
Ele levanta de sua cadeira principal, onde descansava, para observar um cavaleiro de bronze entrar no salão. O garoto apertou a alça quando entrou, seja por medo, precaução ou intimidação, era um fato que o Cavaleiro de Aquário julgava insignificante.
- Boa tarde, Led - O cavaleiro começava a andar em direção ao jovem, tentando uma proximidade. Não, Aquário nunca foi hábil em ser cortês, e na maioria das vezes assustava seus subordinados.
- Curioso... Não vejo essa armadura há algum tempo... - Olhando para o bronze abaixado, lhe vem um pensamento...
- Não se curve a ninguém se não Atena, Led. Levante-se. Sobre o que deseja conversar? - Em um tom frio, sereno e intimidador. As palavras de Aquário poderiam entrar em qualquer pessoa e fazê-la estremecer ao toque nos tímpanos. Sua gélida presença, calma e ainda sim intensa, forçava os inimigos a recuarem quando muito próximos.
Qual será a próxima decisão de Led?

No, i'll won't give in.

Mensagens : 42

Ficha
VIDA:
2000/2000  (2000/2000)
COSMO:
2000/2000  (2000/2000)
Nível: 5

Pontos : 58

Ficha
VIDA:
2000/2000  (2000/2000)
COSMO:
2000/2000  (2000/2000)
Nível: 5

Data de inscrição : 28/12/2014

Ficha
VIDA:
2000/2000  (2000/2000)
COSMO:
2000/2000  (2000/2000)
Nível: 5

Ver perfil do usuário
avatar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Led de Coma Berenices em Sex Set 29, 2017 9:45 am
1990 – Santuário de Atena, Grécia.


Led acabara de botar os pés no Santuário quando sentiu diversas energias cósmicas diferentes e poderosas. Eram outros cavaleiros e, estranhamente, algumas dessas energias lhe eram familiares.

Sua viagem havia sido tranquila. Havia se acostumado com a vida em Oslo depois de algum tempo, então movimentar-se pela cidade era fácil. Descobriu, entretanto, um certo medo de altura no momento em que o avião para a Grécia levantou voo. Conhecia aviões em seu subconsciente, então sabia do seu funcionamento, mas algo lhe dizia que aquele avião não era impulsionado por forças eletromagnéticas, como deveria ser, mas sim por arrasto e sustentação, e isso era estranho.

Ao chegar na Grécia, notou algo que não havia passado pela sua cabeça ainda, o idioma era outro. Por sorte, Led parecia entender e se comunicar perfeitamente. Era como se já soubesse aquele idioma nativamente e só houvesse se lembrado no momento em que ouviu a primeira palavra diferente. Ele não sabia o motivo, provavelmente ligado ao seu passado do qual ele não se lembrava, mas também não era importante no momento. Quando encontrasse algum responsável por aquele lugar ele talvez conseguisse ajuda.

- Documentos, senhor? – Um homem lhe perguntou, fazendo seu olhar desviar das grandes colunas de pedra perfeitamente moldadas. Led o olhou com curiosidade.

Trajava uma armadura básica que parecia não proteger nada além de seu próprio ego. Led sentia que com um soco poderia perfurar o abdômen daquele homem e atravessá-lo como uma folha de papel, e por um momento sentiu o impulso de fazê-lo, mas resistiu. Não era a primeira vez que pensamentos e impulsos estranhos e repulsivos vinham à sua mente em relação a pessoas em hierarquia superior, ele agora conseguia controlá-los sem sentir remorso.

- Senhor?

- Desculpe – Led tirou displicentemente o documento de identidade do bolso e entregou ao guarda. Era a identidade de Tom, que em nada se parecia com ele fisicamente.

O guarda olhou para o documento e para o cavaleiro à sua frente. Ele reconhecia um cavaleiro de longe, reconhecia a urna que ele carregava nas costas, mas sabia que aquele à sua frente não era o homem na foto da identidade. Ele recuou, apertando um discreto botão em seu bolso.

Naquele momento um alarme silencioso tocou. Um alarme que não foi ouvido por ninguém que estivesse naquele lugar, nem mesmo o guarda, mas foi ouvido por quem estava destinado a ouvi-lo. E essa pessoa apareceu atrás de Led em uma fração de segundo.


- Onde pensa que vai, impostor? – Sua voz rouca atrás de Led o fez instintivamente pular para a frente e virar o corpo em posição de defesa. A voz vinha de um homem de estatura mediana, trajando uma armadura prateada com detalhes em rosa. Sua energia era muito maior que a do guarda que lhe atendera agora. Provavelmente era um cavaleiro de nível superior. – Eu poderia me apresentar, mas não é necessário que saiba o meu nome, apenas saiba que sou o cavaleiro de…

- Cães de Caça – Led interrompeu, e notando a expressão de espanto do cavaleiro, continuou. – Posso reconhecer pelo cheiro de cachorro molhado.

Tentar tirar o homem de seu eixo foi o primeiro movimento de Led. Sabia que aquele cavaleiro de prata não estava ali para ser cordial, então, se precisasse lutar, pelo menos não começaria inferior. E ele conseguiu, o cavaleiro ficou nitidamente enfurecido e partiu para cima de Led, dando-lhe um chute com a canela no lado esquerdo do rosto. O cavaleiro de bronze foi jogado longe com um corte interno na boca que já começava a sangrar.


- Está querendo me tirar do sério, imbecil? – Cães de Caça falou. – Não sabe que sou um cavaleiro de prata e posso matar você aqui, facilmente?


- Esse documento não corresponde a ele, senhor, por isso lhe chamei – O guarda interveio. Estava visivelmente assustado e talvez até um pouco extasiado por estar vendo o início de uma batalha entre cavaleiros.

- Tem razão – Led olhou para o guarda enquanto se recompunha, cuspindo o excesso de sangue que se aglomerava em sua boca. Aquele chute havia doído, era um milagre que não tivesse perdido um dente. – Esse documento não é meu. Não tenho documentos e não sei meu nome real. Estou aqui a procura de ajuda para descobrir sobre meu passado. Sou o cavaleiro de Coma Berenices.

Ele se virou para o cavaleiro de prata, que cerrava os punhos e os dentes, numa posição de completo ataque. Preferiu não vestir sua armadura e não se deixar descontrolar, as coisas poderiam ficar feias se não controlasse seus impulsos aparentemente primitivos. O cavaleiro de prata começou a correr de novo em sua direção, em uma fração de segundos Led se preparou para bloquear o golpe, mesmo sabendo que provavelmente não conseguiria e seria nocauteado, mas não revidaria. Estava ali por um motivo, e esse era seu foco, não deveriam haver distrações. O cavaleiro chegou perto a ponto de Led conseguir sentir realmente seu cheiro de cachorro molhado, até que...

- ESPERE!

Uma voz veio da direita, o que fez Cães de Caça parar bruscamente e virar-se. Um homem estava parado ao lado dos dois, a uma distância de dois metros. Não usava uma armadura, diferente de todos os outros que Led havia visto passando por ali. Ao contrário, vestia um manto branco com detalhes em dourado e vermelho, que parecia feito do mais caro tecido. O cavaleiro de bronze quase pôde sentir sua textura apenas de olhar. Além do manto, o homem usava uma máscara vermelha que cobria todo o rosto, o que abafava um pouco sua voz e a tornava um tanto quanto sombria.


- Grande Mestre! – Cães de Caça se apressou em fazer uma reverência ao homem a sua frente. Então aquele era o Grande Mestre, o homem que servia de elo entre os cavaleiros de ouro e a deusa Atena. O homem de maior grau de importância dentro do Santuário.


- Ouvi que você é o cavaleiro de Coma Berenices – O Grande Mestre se aproximava de Led, ignorando propositalmente o cavaleiro de prata em reverência ao seu lado. – Qual seu nome, jovem?

- Me chamo Led, senhor – Led se ajoelhou, levando um joelho ao chão enquanto depositava sua urna a seu lado e abaixava a cabeça de forma solene. Apesar de não saber quem era aquele homem, sentia nele uma presença extremamente forte e imponente. Ele poderia não ser ter a maior energia cósmica do Santuário, mas definitivamente tinha o maior grau de respeito por parte dos outros. Ouvia, ao caminhar antes pelo pátio do Santuário, que o Grande Mestre nunca descia de sua casa por motivos pífios, então algo de importante havia acontecido para que ele estivesse ali, na sua frente. Led continuou. – Mas é assim como me chamo. Não lembro meu nome real…

A resposta do Grande Mestre veio num som imperativo, ainda que condescendente.

- Não se curve a ninguém senão Atena, Led. Levante-se.



Agora – Casa de Aquário, Santuário de Atena

- Não se curve a ninguém senão Atena, Led. Levante-se.

As palavras do cavaleiro de Aquário, aliado ao seu tom intimidador, ainda que sereno, fizeram Led pensar em diversas possibilidades ao mesmo tempo. Poderia aquele cavaleiro ter traído o Grande Mestre e fazer parte de um plano maior para raptar Atena? Libra lhe dissera que Atena havia sido transformada em criança por Cronos, ao mesmo tempo que o Grande Mestre teve seu vinho envenenado. Isso não poderia ser coincidência. Em algum lugar longe dali, Led sentia uma reunião de cosmos e um cosmo, já enfraquecido, havia acabado de desaparecer, tornando-se mais uma estrela no céu. Isso significa que um cavaleiro havia morrido. Seria ele aliado ou inimigo?


- Sobre o que deseja conversar? – O cavaleiro de Aquário continuou. Sua serenidade era visível, e não era para menos. Se ele fosse mesmo um traidor, não haveria motivos para se preocupar, estava apenas diante de um cavaleiro de bronze sem armadura. Um golpe seria o suficiente para decidir a luta, pelo menos enquanto Led estivesse controlado. Após isso, seriam necessários no mínimo dois.

- Sinto muito lhe perturbar em sua casa, cavaleiro – Led disse, levantando-se e fitando o cavaleiro nos olhos. Não estava intimidado, mas sim receoso por conta de todo aquele mistério. Ele e Aquário tinham praticamente a mesma altura, dessa forma, olhavam-se no mesmo nível. – Soube do ocorrido com Atena e com o Grande Mestre e sinto o pesar disso. Fui ajudado pelo Grande Mestre há cerca de um ano e tenho uma dívida para com ele.

A cada palavra, minuciosamente pensada, Led estudava o cavaleiro a sua frente. Sua armadura reluzia, como deveria ser. Sua capa lhe dava imponência, também como deveria ser. Seu rosto não se alterava a cada uma de suas palavras, nem mesmo uma microexpressão lhe dava pistas do que ele estava pensando, mas talvez também devesse ser, como um bom cavaleiro do gelo.

Aquário havia comentado que não via a armadura que Led usava há um tempo, isso era compreensível e Led já havia descoberto detalhes sobre sua história que lhe explicavam o motivo disso, mas preferiu não pensar no assunto naquele momento, o problema do Santuário era maior.

- Acredito que, assim como eu, todos os cavaleiros foram muito bem acolhidos pelo Grande Mestre e todos desejamos que ele descanse em paz, onde quer que ele esteja nesse momento. – Não foi uma tentativa de apelar para o lado emocional de Aquário, Led não acreditava que isso pudesse ocorrer. Dessa vez ele estava apenas deixando seus sentimentos fluírem enquanto falava. Todos estavam de luto, inclusive o cavaleiro conhecidamente mais frio e impessoal do Santuário, e isso deveria significar alguma coisa. Talvez Aquário realmente não fosse o traidor, no final das contas. – Peço-lhe que me deixe ajudar. Acredito que tenha suas suspeitas quanto a quem o matou e desejo que me oriente para que eu possa encontrar mais pistas. Peço que não entenda isso como uma afronta a suas capacidades de julgamento e tomada de decisão, entenda como uma maior possibilidade de movimentos dentro do Santuário, visto que um cavaleiro de bronze chama menos atenção onde quer que vá.

Havia um tom urgente em sua voz e Led não se preocupou em escondê-la. Desejava descobrir o traidor mais do que qualquer cavaleiro de bronze e se tivesse a oportunidade, gostaria de ser o primeiro a enfrenta-lo e derrota-lo, se assim fosse possível. Após suas palavras, o cavaleiro de bronze aquietou-se e esperou pela resposta de Aquário, desejando que em sua próxima fala houvessem pistas valiosas para que ele pudesse seguir. A chance de haver algo no lugar onde os cosmos estavam reunidos era alta, mas dessa vez, e unicamente dessa vez, Led pôs sua emoção acima de sua racionalidade e preferiu seguir seus instintos. E eles lhe diziam que ele deveria seguir para outro lugar.
Mensagens : 25

Ficha
VIDA:
500/500  (500/500)
COSMO:
500/500  (500/500)
Nível: 3

Pontos : 35

Ficha
VIDA:
500/500  (500/500)
COSMO:
500/500  (500/500)
Nível: 3

Data de inscrição : 20/04/2015

Ficha
VIDA:
500/500  (500/500)
COSMO:
500/500  (500/500)
Nível: 3

Idade : 23

Ficha
VIDA:
500/500  (500/500)
COSMO:
500/500  (500/500)
Nível: 3

Ver perfil do usuário
avatar
Cavaleiro de Bronze

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Aquário em Sab Set 30, 2017 1:32 am

Aquário


Aquele encontro, embora curto, era importante para definir o caminho de Led. Parece que a cada palavra que Aquário fala, mil pensamentos vêm à mente daquele jovem. Algo interessante de se observar. Normalmente, Led poderia ser considerado uma pessoa intrigante para uma pessoa comum.
-... Levante-se. - Falou o Cavaleiro de Aquário. Não em um tom de autoritário, mas de cavaleiro para cavaleiro. Embora ainda seja um Dourado, sentia o peso da idade. Sentia que a tocha deveria ser passada. Mas não porque ele era um “ancião”. Longe disso, o vigor dele ainda era o suficiente para destroçar os inimigos que viessem atrás de Atena. Mas sim pelo efeito psicológico do desgaste. Seres humanos vivem por um motivo, e ele já pensava ter concluído seu dever na Terra quando Atena estivesse pronta para comandar o Santuário, mas isso não aconteceu.
Nada aconteceu da forma que todos esperavam. Parece que o destino está contra nós.
O jovem se “desculpa” por perturbar o aquariano. Embora impaciente e levemente irritado com o vai e vem de pessoas por entre sua casa, o Aquário não sentia que os bronze eram empecilhos ou peças desnecessárias. Depois de explicar a sua relação com o Grande Mestre e as suas motivações, Led pediu algo.
- “Peço-lhe que me deixe ajudar. Acredito que tenha suas suspeitas quanto a quem o matou e desejo que me oriente para que eu possa encontrar mais pistas. Peço que não entenda isso como uma afronta a suas capacidades de julgamento e tomada de decisão, entenda como uma maior possibilidade de movimentos dentro do Santuário, visto que um cavaleiro de bronze chama menos atenção onde quer que vá.” - A sua fala foi extensa. Talvez isso fosse cuidado. Ele queria deixar tudo bem claro para que nada soasse como hostilidade.
- Garoto... - Fala para ele, parando de olhar diretamente. Começo a caminhar até a entrada da Casa Zodiacal. - ...me acompanhe.-
- Aqui é bem alto, não concorda? - Aquário observava a cidade que cercava o santuário. Havia tantas vidas ali, pessoas, cavaleiros, aspirantes. De tão longe, parecia tudo insignificante. Mas, se você pensar bem, o que importa são os detalhes.
- Não pensei que ela agiria numa situação dessas... - Ele aponta para a cidade, mais especificamente na direção da Taverna lá em baixo. - Mas tem uma pessoa que pode lhe ajudar mais apropriadamente. Ela está sempre naquele lugar, observando tudo. - Aquário abaixa a mão e vira-se para Led.
- Esta é a minha “pista”, cavaleiro. Encontre a mulher que está naquela Taverna e diga que eu lhe mandei... - Começando a caminhar novamente para a sua casa, Aquário dá uma última dica para aquele jovem.
- Tome cuidado quando for falar com ela -


Waterless like the ocean – Drizzling like the deserts; Come emerge and wallow!

Mensagens : 42

Ficha
VIDA:
2000/2000  (2000/2000)
COSMO:
2000/2000  (2000/2000)
Nível: 5

Pontos : 58

Ficha
VIDA:
2000/2000  (2000/2000)
COSMO:
2000/2000  (2000/2000)
Nível: 5

Data de inscrição : 28/12/2014

Ficha
VIDA:
2000/2000  (2000/2000)
COSMO:
2000/2000  (2000/2000)
Nível: 5

Ver perfil do usuário
avatar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por The Saint em Sab Set 30, 2017 7:42 pm









EXP

Atualização



Avaliação!
Sempre excepcional, Led!
+450 de exp.



Made by Lexiel@Sugar Avatar& Aglomerado
Mensagens : 106

Ficha
VIDA:
100/100  (100/100)
COSMO:
100/100  (100/100)
Nível: 1

Pontos : 328

Ficha
VIDA:
100/100  (100/100)
COSMO:
100/100  (100/100)
Nível: 1

Data de inscrição : 25/12/2014

Ficha
VIDA:
100/100  (100/100)
COSMO:
100/100  (100/100)
Nível: 1

Ver perfil do usuário http://nclrpg.forumeiros.com
avatar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Conteúdo patrocinado
Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum